Empresa telefônica é acusada de usar ilegalmente localização de usuários para propaganda

Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) oficializou uma ação civil pública para a suspensão do produto Mídia Geolocalizada da plataforma Vivo Ads

Foto: Marcello Casal Jr./ Agência Brasil

Redação VN
redacao@varelanoticias.com.br

Na terça-feira (31), o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) oficializou uma ação civil pública contra a empresa telefônica Vivo, para a suspensão do produto Mídia Geolocalizada da plataforma Vivo Ads.

Em abril de 2019,  o MPDFT  já tinha instaurado o inquérito para analisar se a empresa estava utilizando ilegalmente as informações dos clientes para comercializar publicidade. As propagandas seriam escolhidas dependendo do local que o cliente está, por exemplo, se propagandas de roupas aparecem quando a pessoa está perto de lojas de roupas.

Ainda, o inquérito considerava que a empresa devia explicações aos seus 73 milhões de clientes. A Vivo também disse que, dos seus 73 milhões de clientes, 43 milhões consentiram para que a empresa fizesse o uso de registros de cadastro, e 26 milhões, para o uso da localização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *